Salão de Artes Plásticas Câmara Municipal de Porto Alegre

O Salão de Artes Plásticas CMPA propõe-se a abranger mais que oportunidades de incentivo a artistas e de descobertas de novas criações. Faz-se necessário compartilhar esses experimentos, discutir essas linguagens, possibilitar a ampliação e multiplicação desses conhecimentos, dialogando com o publico e compartilhando reflexões sobre o nosso mundo contemporâneo.

Por vivermos em uma época de inúmeros avanços tecnológicos, políticos e econômicos, as instituições públicas sentem, cada vez mais, a necessidade de posicionarem-se no sentido de fomentar as manifestações culturais dos povos. Se a nossa cultura repercute em todo o nosso desenvolvimento socioeconômico, os trabalhos artísticos, ao longo de nossa historia, por serem incessantes convites à reflexão, determinarão a identidade humana de nosso povo. 

 

O Salão de Artes Plásticas Câmara Municipal de Porto Alegre foi criado em 1952, por iniciativa do falecido escritor e vereador Josué Guimarães, sendo vinculado a instituições envolvidas com um projeto moderno de artes na cidade.

Devido às dificuldades enfrentadas pelas instituições participantes, a realização do Salão foi suspensa em 1960.

Em 1988, durante a gestão de Joaquim José Felizardo na Secretaria Municipal de Cultura, a lei municipal foi remodelada, contemplando a exigência de que somente artistas gaúchos ou residentes no estado há pelo menos cinco anos poderiam inscrever-se, denotando uma maior valorização da arte aqui produzida.

Voltando aos artistas gaúchos, o evento caracterizou-se como responsável pelo incentivo e divulgação de grande parte da arte produzida em nosso estado.

A cada edição, o salão tem recebido um número cada vez maior de participantes, tendo se consagrado como o único evento desta natureza promovido por instituição pública no Rio Grande do Sul.

A Câmara Municipal Porto Alegre, por sua vez, vem assumindo, ao longo desses anos, um importante papel na defesa das questões culturais, incorporando, dentro de suas funções, o incentivo, a preservação da historia e o desenvolvimento da arte, juntamente com empresas apoiadoras, por meio desse evento pioneiro. 

O Salão é organizado a cada dois anos com base no que está disposto na Lei n° 6152 de 1988.